Rua Helena Cardoso, Quinta do Piloto,
2950 - 131, Palmela - Portugal  |  +351 212 333 030

  • Facebook Basic Black
  • Instagram Basic Black
  • Trip Advisor Social Icon

Sign our newsletter

© 2014 by Quinta do Piloto, Palmela - Portugal.

Quinta do Carvacho.

A

HISTÓRIA

DA

FAMÍLIA

A história da Quinta do Piloto abrange quatro gerações de uma família que cresceu ligada à história de Palmela ao longo de um século.

 

No início do século, em 1900, Humberto da Silva Cardoso partiu para o Brasil em busca da fortuna. Mas regressou pouco depois, como partira.

 

Em Palmela casou com Adelaide Carvalho Cardoso, filha de uma família ilustre de proprietários vinícolas, onde pontua o restaurador do concelho.

 

Rui e Álvaro Cardoso na Quinta do Piloto.
Humberto Cardoso, fundador da Quinta do Piloto, nas vinhas da Agualva, 1933.
Auto-cars Palmelense.
Os primos na ruas do Centro Histórico de Palmela.
Humberto da Silva Cardoso, no início do século XX: o pai da Quinta do Piloto, trisavô da atual geração.
Azulejos que marcam a entrada da Quinta do Piloto.

Jovem, empreendedor e visionário, Humberto Cardoso viu no início da indústria automóvel a oportunidade de criar uma empresa rodoviária. A Auto-cars Palmelense foi uma das primeiras em Portugal e pioneira a criar uma carreira internacional. O crescimento de Lisboa levou a que fosse a Auto-cars Palmelense a fornecer muitos dos primeiros autocarros da Rodoviária Nacional. E a própria empresa acabou vendida.

 

Humberto Cardoso decidiu investir os lucros deste negócio na viticultura, em plena expansão na região. Comprou três grandes herdades: a Fonte da Barreira, Lau e Alboal onde iniciou a plantação de vinha. Construiu também duas adegas, primeiro a Quinta do Piloto e depois a Adega da Serra. Assim se inicia a ligação da família Cardoso ao vinho.

Aí Humberto Cardoso instalou a adega que foi crescendo até atingir a dimensão actual.

 

A Casa Agrícola Humberto Cardoso cresceu com a venda de vinho a granel na região. O seu fundador tornou-se um dos maiores viticultores da região e destacou-se pela sua dedicação a Palmela. Humberto Cardoso viajava muito e tinha o hábito de fotografar o que gostava, como inspiração. Em 1952, como presidente da Câmara, construiu o Cineteatro S. João, que marcou a vida cultural de Palmela e para o qual foi buscar pessoalmente à Alemanha um dos mais modernos equipamentos de projecção do país.

 

Cedo Humberto da Silva Cardoso entregou toda a gestão das quintas e adegas aos seus filhos, Rui e Álvaro Cardoso, e partiu para realizar um sonho seu, uma volta ao mundo na companhia da sua mulher. 

 

Muito jovem, Álvaro Cardoso assumiu a responsabilidade pelo negócio da família, que desenvolveu seguindo o modelo original. Com quase 500 hectares de vinha eram o segundo maior produtor da região a seguir a Rio Frio, a maior vinha da Europa. Produziam 3 a 4 milhões de litros de vinho, um volume extraordinário na época, vendido a granel para grandes empresas da região. Também Álvaro se destacou como benemérito de Palmela. Como presidente da Câmara, ainda muito jovem, trouxe a água canalizada, tornando-se uma figura muito respeitada de Palmela.

 

Mais tarde o seu sobrinho, Humberto, formado em agronomia veio a integrar a empresa, que liderou sempre com o sonho de engarrafar os seus próprios vinhos. O sonho acabaria por se realizar com a entrada da quarta geração, pela mão do seu filho Filipe Cardoso.

 

Filipe Cardoso viu na extensa área de vinhas velhas e na experiencia familiar a oportunidade de selecionar vinhos extraordinários. O actual projecto Quinta do Piloto nasceu em 2008, para dar a conhecer estes vinhos especiais. Dedicada a engarrafar vinhos de qualidade, em pequenas quantidades a Quinta do Piloto é o culminar de uma história que abrange quatro gerações dedicadas a Palmela. Um segredo finalmente revelado.

Motorista e Autocarro da Auto-cars Palmelense.
Eng. Filipe Cardoso - Administrador da Quinta do Piloto e a 4ª geração da Família Cardoso.